Ponta de flecha encontrada na Praia Brava… em 1992

Publicado em Praia Brava | 18 de abril de 2011 |
Ponta de flecha encontrada na Praia Brava Itajaí

Ponta de flecha encontrada na Praia Brava Itajaí

Hoje a tarde – 18/4/11 – eu e a esposa fomos visitar o Parque Cyro Gevaerd de Balneário Camboriú. Lá, já no museu, revi as pontas de flecha dos antigos povos que habitavam essa região a cerca de 3000 anos, pela terceira vez, e lembrei que – lerdo como sou – estava devendo a foto acima para este site há muito tempo.

Encontrei a ponta de flecha acima em 1992, não sei ao certo o mês, num terreno próximo à esquina das ruas Delphim de Pádua Peixoto e Carola Coelho da Praia Brava Itajaí. Tinha somente 11 anos de idade e, como criança que era, estava brincando com meu primo e um amigo em meio aos lotes de uma Praia Brava ainda com pouquíssimas casas. Não faço a menor idéia de como ela foi parar ali.

Mas lembro bem como a encontrei. Tinha recém completado um daqueles álbuns de figurinhas daquelas que vinham em chicletes somente catando as figurinhas das embalagens dos chicletes que as pessoas jogavam no chão. Coisa de moleque. Então na época ainda estava com o cacoete de andar corcundo tentando encontrar as coisas no chão ;-) até me deparar com a flechinha acima. Guardo-a há anos com imenso carinho. É daquelas coisas que não querem dizer nada e ao mesmo tempo dizem tudo.

***

A propósito o museu do parque Cyro Gevaerd expõe algumas ossadas incríveis dos primeiros habitantes dessa região. Se não foi ainda, vá! Eram os chamados Homens do Sambaqui. Percebi que a maioria das pessoas ali no museu passava, via tudo muito rápido, com muita pressa e pouco interesse. Tudo bem que é um tema até certo ponto macabro, devido ao aspecto daquelas ossadas. Mas não conseguem enxergar o quão fantásticos são aqueles ossos e artefatos como pontes para toda uma outra realidade que já existiu por aqui. E igualmente fantásticos são aquelas fotos dos sítios arqueológicos da praia de Laranjeiras onde as ossadas foram encontradas, e também os pedaços de cerâmica e outras ferramentas de pedra, algumas polidas, outras lascadas, usadas por aquelas pessoas.

É para mim fantástico tentar imaginar – e apenas tentar porque tudo era impossivelmente simples – como era a vida daquelas pessoas. Suas histórias simples, suas alegrias, suas solidões diante de uma praia – e um continente – ainda virgem, intocado, onde viviam totalmente integrados à natureza. Como foi a vida daquelas mulheres que morreram grávidas? Me é surpreendente imaginar como era o dia a dia daquelas pessoas que existiram AQUI antes de Jesus, de Platão, de Sócrates e toda essa gente que contribuiu para a civilização chegar onde – bem ou mal – chegou!

Visitar o museu do parque Cyro Gevaerd é uma verdadeira viagem – e a melhor delas – uma viagem no tempo, a inacreditáveis 3000 anos atrás.

Brava Beach Internacional – Praia Brava Itajaí

Publicado em Praia Brava | 16 de abril de 2011 |
Brava Beach - Frente

Brava Beach - Frente

O Brava Beach Internacional reúne todos os adjetivos de um resort exclusivo ao integrar espaços residenciais com a sofisticação e facilidades de um hotel resort e um centro de compras. Uma combinação notável cercada pelo mar da Praia Brava Itajaí e por uma natureza intocada.

Brava Beach - Boulevard

Brava Beach - Boulevard

  • Área de 131.000m²
  • 200m de frente para o mar
  • Aprox. 60.000m² de área verde
  • 6 condomínios residenciais
  • Hotel Resort
  • Espaço Boulevard aberto ao público
Brava Beach Internacional

Brava Beach Internacional

Saiba tudo sobre o Brava Beach no site do empreendimento (clique e veja).

Draga Charles Darwin em Itajaí

Publicado em Política | 29 de março de 2011 |
Draga Charles Darwin - Coisa maj linda, nêgo!

Draga Charles Darwin - Coisa maj linda, nêgo!

Quando eu soube da presença da Draga Charles Darwin – da empresa belga Jan de Nul – em Itajaí para aprofundar o leito do rio Itajaí em mais 3 metros, ao custo de 55 milhões de dólares, confesso que logo senti cheiro de corrupção pelo valor astronômico do custo da operação de dragagem do rio. Não são 5 milhões, são 55 MILHÕES de reais. Convenhamos, é MUITO DINHEIRO.

Com a pulga atrás da orelha, fui pesquisando nos sites relacionados à dragas, em inglês, para tentar encontrar ao menos O CUSTO DE UMA DRAGA como a Charles Darwin. Na minha ignorância, achei que por 55 milhões de dólares dava pra COMPRAR uma draga. Ou ainda com base naquela revoltinha típica da classe média reclamona brasileira, me questionei se com 55 milhões de dólares não era possível ao Brasil CONSTRUIR sua própria draga.

Não encontrei nada sobre custos de fabricação de uma draga como a Charles Darwin. Mas descobri informações curiosas.

A Charles Darwin não é tão fodona como alardou a imprensa regional. Nesta página (clique e leia – em espanhol) descobri uma tabelinha comparando nossa queridinha Charles Darwin à uma tal de Cristobal Colón. Observe que TODOS os dados técnicos comparativos pesam em favor da Cristobal Colón.

Então no final desta página (clique e leia – espanhol) encontrei o custo diário do aluguel para operação da draga Cristobal Colón. Ela custa 180.000 EUROS POR DIA a quem a contrata. Isso mesmo!

Inacreditável, não?

Nesta página (clique e veja – inglês) via esta encontrei um pdf informativo sobre a Draga Charles Darwin. Inclusive com uma citação à sua operação INAUGURAL no porto de Itajaí, no fim do documento. Sim, é uma draga nova (veja informativo em blog – inglês) embora não seja novidade.

Por fim, para me conformar, multipliquei o total de dias dados como prazo para a realização dos serviços de dragagem – 180 dias – pelo valor de E$180.000 convertidos para reais no dia 28/03/2011 (R$ 2,34), diários – R$ 421.200 como se fosse a draga Cristobal Colón a executar os serviços.

Resultado – R$ 75.000.000,00

TÁ CARO, NÉ??? Mas é assim mesmo. É o preço da tecnologia que o Brasil prefere pagar do que desenvolver.

Descontando a diferença para baixo do potencial da draga Charles Darwin em relação à Draga Cristobal Colón cujo valor de aluguel diário serviu de base para o cálculo acima, vemos que o valor pago à empresa Jan de Nul pelos serviços de dragagem do Rio Itajaí-açu, de fato, condiz com a realidade.

Menos mal!

Fica só uma questão. O prazo de execução dos serviços é variável. Se a draga terminar antes dos 180 dias, vamos pagar menos? O saldo que sobrar dos 55.000.000,00 iniciais destinados à totalidade do serviço vão pra onde? Só Deus, que como se sabe é brasileiro, deve saber…

Ressaca na Praia Brava

Publicado em Praia Brava | 23 de junho de 2010 |

Super atrasado, pra variar, tirei algumas fotos da ressaca, ou melhor, do resultado das sucessivas ressacas ocorridas ultimamente na Praia Brava, que demonstram claramente o quanto o mar avançou na última década. A primeira grande ressaca ocorreu no inverno de 1997.

Abaixo estão duas fotos que tirei de uma forte ressaca que ocorreu no inverno de 2001, para um trabalho da faculdade:

Ressacas na Praia Brava - 01-06-2001 - Antigo bar à saída da Carlos Drumond

Ressacas na Praia Brava – 01-06-2001 – Antigo bar à saída da Carlos Drumond

Ressacas na Praia Brava - 01-06-2001 - Onde era o antigo Tribus Bar

Ressacas na Praia Brava – 01-06-2001 – Onde era o antigo Tribus Bar

Já na foto abaixo, você percebe  forte erosão recente, dada a altura das dunas:

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Erosão

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Erosão

Abaixo, o tubo de esgotamento comumente utilizado pelos bares à beira-mar, de um antigo bar instalado aqui neste local:

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Tubo de antigo bar à beira da praia

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Tubo de antigo bar à beira da praia

Abaixo, você percebe o aterro realizado com terra vermelha há vários anos.

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Terra vermelha à beira mar?

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Terra vermelha à beira mar?

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Esse ´tá esperando a vez dele

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Esse ´tá esperando a vez dele

Aqui, o mais interessante. A fundação de um antigo posto de salva-vidas que funcionou aproximadamente entre os anos de 1995/6 até 2001/2. Observe que na época, do “salva-vidas” até a praia, iam mais uns 20 metros ou mais de faixa de areia à frente. Já era…

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Antigo Posto de salva-vidas

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Antigo Posto de salva-vidas

Agora, abaixo você observa que o mar não só alcançou o espaço onde antes era a rua (com o posto de salva-vidas), como avançou uns 4 metros a mais na vegetação nos últimos dois meses.

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Antigo posto de salva-vidas

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Antigo posto de salva-vidas

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Antigo posto de salva-vidas

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Antigo posto de salva-vidas

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Antigo posto de salva-vidas

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Antigo posto de salva-vidas

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Antigo posto de salva-vidas

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Antigo posto de salva-vidas

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Pedra sendo coberta pela areia

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Pedra sendo coberta pela areia

Diz-se que a Praia Brava é um lugar onde antigamente se localizava um imenso banhado. Chegaram aterrando tudo, sem estudo e sem planejamento (que novidade) e hoje o bairro sofre com as consequências provocadas pela drenagem pluvial inadequada.

Abaixo, mais uma das tantas e fortes erosões provocadas pelas fortes e sequenciais chuvas dos últimos anos:

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Erosão promovida pela enxurrada

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Erosão promovida pela enxurrada

Os barões da grana ainda pensam que a vegetação de restinga não passa de “mato”. Pois abaixo percebe-se nitidamente que onde há menos vegetação, o mar VEM COM TUDO, como diria Regina Casé:

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Antiga passarela

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Antiga passarela

Ressaca na Praia Brava Itajaí - A mesma passarela (ou o que restou dela)

Ressaca na Praia Brava Itajaí – A mesma passarela (ou o que restou dela)

Ressaca na Praia Brava Itajaí - Aos céticos, acreditem, sem a vegetação, seria pior

Ressaca na Praia Brava Itajaí – Aos céticos, acreditem, sem a vegetação, seria pior

Enfim, depois da tempestade, a bonança, e as lições que os homens não querem aprender:

Ressaca na Praia Brava - Depois da tempestade, digo, da ressaca, vem a calmaria

Ressaca na Praia Brava – Depois da tempestade, digo, da ressaca, vem a calmaria

Ronaud Pereira

Menos…

Publicado em Praia Brava | 16 de maio de 2010 |

O rapaz comentou, nesta notícia (a página foi removida), assim:

“O charme da praia (Brava) estava no chão batido…”

Acho que ele exagerou…

Copyright 2008 - 2019 PraiaBrava.info - Destinos de Santa Catarina - Litoral do Paraná - Frases Engraçadas - Kitnet em Itajaí